sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Então é Natal!!

Natal, época de amor, união e perdão...só que não!! Não me levem a mal na teoria é tudo muito bonita mais na pratica todos sabemos que é bem diferente. Estive pensando em como me sinto em relação a essa data tão esperada anualmente por milhões de pessoas e cheguei a triste conclusão que sou totalmente indiferente a essa tradição, não tem nada a ver com religião já que não pratico nenhuma, acredito que tem mais a ver com o fato de que nos dias de hoje é uma data totalmente comercial e eu detesto fazer compras. Toda aquela gente tumultuando lojas, supermercados reclamando de tudo, não eu passo. Nem acredito que faltam 9 dias pra acabar esse ano que foi um dos piores da minha vida já vai tarde.To vivendo a 30 anos praticamente ininterruptos regida pela lei de murphy o que não é nada bom.  Minha vida começou a piorar em 2013 fui demitida da empresa que trabalhava mais admito que gostei, a parte ruim foi ficar com tanto tempo livre o que me fez enxergar defeitos que antes eu fingia não ver no meu namorado da época que larguei meses depois por ser um completo babaca. no começo do ano seguinte arrumei um novo emprego minha área é comercio geralmente como operadora de caixa nem preciso dizer o quanto é estressante simplesmente odeio mais como não sei fazer mais nada, paciência. Minha depressão atingiu o limite máximo nessa época larguei o emprego e decide dar um tempo tipo ferias não  remuneradas. Me afastei das pessoas que eu chamava de amigos e os que sobraram se afastaram de mim. Parei de sair, engordei, comecei a ter pânico de sair, não ia nem na calçada minha mãe fazia tudo eu só dormia e ficava na internet alienada da minha própria existência. Todo esse ano de 2014 só pensava em suicido cheguei a planejar como e onde seria, comecei a pensar em gravar um video pra minha mãe tentando explicar os motivos que me levaram a isso e claro comprar o material que eu usaria...para finalizar meu sofrimento. Por mais incrível que pareça conheci um rapaz e começamos a namorar o que me fez muito bem por um breve período, estava até tentando voltar para o mercado de trabalho. Algum tempo depois minha mãe sofreu um AVC meu mundo caiu, fiquei completamente sem chão tirei forças não sei de onde pra cuidar dela. Nossas vidas passou a se resumir a hospitais, exames sem fim, remédios. Na frente dela eu era uma rocha mais quando chegava em casa eu desabava chorava até dormir. Emagreci quase 10kg sem perceber. Esse namorado me deu muito apoio o que eu precisava e muito. Finalmente minha mãe saiu do hospital e aos poucos foi melhorando em contra partida meu namoro que já vinha dando sinais de principio do fim, terminou. Fiquei bem chateada principalmente por saber que ele me enganou e já estava com outra, eu estava vulnerável e acabei emendando um relacionamento no outro, voltei com um ex ficante só que dessa vez como namorada. Os primeiros meses foram ótimos mais ele é muito problemático e possessivo e logo terminamos. O que claro ele não levou numa boa, fez da minha vida que já estava péssima  um verdadeiro inferno ao ponto de eu ter que mudar o numero do meu celular tamanha a quantidade de ofensas das mais baixas que ele me mandava. Tudo isso somado me estressou de tal modo que voltei ao ponto de partida caí de novo na mesma letargia de antes. Não tive mais animo pra procurar emprego de todo jeito acho que não conseguiria mesmo afinal quem me contrataria. Não tenho um pingo de confiança em mim mesma, entro em pânico só de pensar em conversar com alguém em uma entrevista e sinceramente só de pensar em trabalhar em algo que odeio, com pessoas que não gosto e que sei que não gostam de mim, pra ganhar pouco e comprar coisas que não preciso me deprimi muito mais. Isso me faz lembrar de uma frase do do Mahatma Gandhi que certa vez ouvi num filme que diz: '' Qualquer coisa que você faça será insignificante, mas é muito importante que você o faça.'' Sei que preciso de ajuda e que meu estado é um pedido de ajuda silencioso mais não sei como sair de onde estou, simplesmente não consigo. Ano que vem mesmo mal vou vestir minha mascara de confiante e feliz que geralmente uso quando saio e principalmente quando encontro uma pessoa conhecida na rua pra conseguir a todo custo um emprego. Não tenho e nunca tive preguiça de trabalhar só não estou bem pra faze-lo mentalmente falando. Nem acredito que passei por tudo isso e ainda estou aqui pra contar, eu sobrevivi a mais um ano horrível e por esses motivos e uma infinidade de outros, que aqui em casa não se comemora o natal mais pra quem comemora Boas Festas!!!